top of page
Buscar

A IMPORTÂNCIA DA SAÚDE FINANCEIRA DA EMPRESA NO ACESSO AO CRÉDITO


A saúde financeira da empresa é um dos principais fatores que influenciam na sua capacidade de obter crédito no mercado. O crédito é um recurso essencial para o desenvolvimento e a expansão dos negócios, pois permite investir em novos projetos, equipamentos, estoques, marketing, entre outras necessidades. Mas como avaliar a saúde financeira da empresa? E como melhorá-la para aumentar as chances de conseguir crédito? Neste artigo, vamos responder a essas perguntas e dar algumas dicas para você cuidar das finanças do seu empreendimento. O que é saúde financeira da empresa? A saúde financeira da empresa é a condição que reflete a sua capacidade de gerar lucros, honrar seus compromissos financeiros e manter um equilíbrio entre as receitas e as despesas. Uma empresa com boa saúde financeira tem um fluxo de caixa positivo, ou seja, recebe mais do que gasta, e consegue acumular reservas para enfrentar imprevistos ou aproveitar oportunidades. Uma empresa com má saúde financeira, por outro lado, tem um fluxo de caixa negativo, ou seja, gasta mais do que recebe, e depende de empréstimos ou financiamentos para cobrir seus custos. Essa situação compromete a sustentabilidade do negócio e aumenta o risco de inadimplência ou falência. Como avaliar a saúde financeira da empresa? Para avaliar a saúde financeira da empresa, é preciso analisar alguns indicadores financeiros que mostram o seu desempenho e a sua situação patrimonial. Alguns dos principais indicadores são: · Faturamento: é o valor total das vendas realizadas pela empresa em um determinado período. Ele indica o potencial de geração de receita do negócio e o seu nível de atividade no mercado. · Lucratividade: é o percentual do faturamento que representa o lucro líquido da empresa, após deduzir todos os custos e impostos. Ela indica a eficiência operacional do negócio e a sua capacidade de gerar valor para os sócios ou acionistas. · Margem de contribuição: é o valor que cada produto ou serviço vendido contribui para cobrir os custos fixos da empresa e gerar lucro. Ela indica o grau de rentabilidade de cada item do portfólio e ajuda na definição de preços e estratégias de vendas. · EBTIDA: É o indicador financeiro utilizado para mensurar o resultado do negócio. Esse indicador é definido como uma métrica da geração de caixa operacional, na prática, quanto a empresa gera de dinheiro com sua atividade principal. · Ponto de equilíbrio: é o nível mínimo de faturamento que a empresa precisa alcançar para cobrir todos os seus custos fixos e variáveis. Ele indica o grau de segurança financeira do negócio e o seu nível de dependência do crédito. · Liquidez: é a capacidade da empresa de transformar seus ativos em dinheiro para pagar suas obrigações no curto prazo. Ela indica o grau de solvência do negócio e o seu nível de endividamento. Como melhorar a saúde financeira da empresa? Para melhorar a saúde financeira da empresa e aumentar as chances de conseguir crédito no mercado, é preciso adotar algumas boas práticas de gestão financeira, tais como: · Planejar o orçamento: é preciso definir as metas de faturamento, lucratividade e crescimento da empresa, bem como os recursos necessários para alcançá-las. O orçamento deve ser acompanhado periodicamente para verificar se os resultados estão conforme o esperado e se há necessidade de ajustes. · Controlar o fluxo de caixa: o fluxo de caixa é a movimentação de entradas e saídas de dinheiro da empresa em um determinado período. Ele é fundamental para avaliar a capacidade de pagamento da empresa, identificar possíveis problemas de liquidez e planejar investimentos. Para controlar o fluxo de caixa, é preciso registrar todas as receitas e despesas da empresa, categorizá-las por origem e destino, projetar os saldos futuros e acompanhar os resultados periodicamente. · Separar as finanças pessoais das empresariais: misturar as contas pessoais com as da empresa é um erro comum que pode comprometer a saúde financeira do negócio. Ao fazer isso, o empreendedor perde o controle sobre o lucro real da empresa, dificulta a análise dos custos e despesas, aumenta os riscos de endividamento e prejudica a credibilidade perante os fornecedores e bancos. Para evitar esse problema, é preciso definir um pró-labore para o empreendedor, que deve ser retirado mensalmente como remuneração pelo seu trabalho, e manter contas bancárias separadas para as finanças pessoais e empresariais. · Reduzir custos e despesas: outra forma de melhorar a saúde financeira da empresa é reduzir os custos e despesas desnecessários ou excessivos. Para isso, é preciso fazer um levantamento de todos os gastos da empresa, analisar sua relevância e impacto para o negócio, negociar com fornecedores e prestadores de serviços, buscar alternativas mais econômicas e eficientes e eliminar desperdícios. Além disso, é importante monitorar os indicadores de desempenho financeiro, como margem de lucro, ponto de equilíbrio e retorno sobre o investimento. · Renegociar dívidas: se a empresa possui dívidas com bancos, fornecedores ou outras instituições financeiras, é essencial renegociá-las para evitar juros altos, multas e restrições no crédito. Para isso, é preciso conhecer o valor total da dívida, os prazos e as condições de pagamento, buscar uma proposta que se adeque à capacidade financeira da empresa e cumprir com os compromissos assumidos. Também é recomendável buscar linhas de crédito mais vantajosas para quitar as dívidas mais caras e evitar contrair novos empréstimos sem necessidade. · Planejar o crescimento: por fim, para melhorar a saúde financeira da empresa e aumentar as chances de conseguir crédito no mercado, é preciso planejar o crescimento do negócio de forma sustentável. Isso significa definir objetivos claros e realistas, traçar estratégias para alcançá-los, estabelecer metas e prazos, avaliar os recursos disponíveis e necessários, analisar os riscos e oportunidades do mercado e revisar o plano periodicamente. Dessa forma, a empresa pode se preparar para enfrentar os desafios e aproveitar as chances de expansão. · Formação do Preço de Venda: A formação do preço é uma das tarefas mais importantes para a gestão financeira. Ela garante que seu empreendimento seja lucrativo, cubra os custos e, ao mesmo tempo, seja competitivo e atrativo para os clientes. Muitas vezes as empresas fazem o preço conforme o mercado ou concorrente está fazendo e não olha para os seus custos e despesas, com isso pode estar trabalhando no prejuízo. Conhecer os indicadores financeiros, custos e as despesas é fundamental para saber se está lucrando ou tenho prejuízo. · Planejamento Tributário: é de notório conhecimento que a tributação no Brasil tanto para pessoas físicas como jurídicas é onerosa, complexa e muda-se a legislação constantemente, dificultando o acompanhamento e a aplicação no devido tempo. Segundo o IBPT, em média, 33% do faturamento empresarial é dirigido ao pagamento de tributos. Somente o ônus do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o lucro das empresas pode corresponder a 51,51% do lucro apurado. Da somatória dos custos e despesas, mais da metade do valor é representada pelos tributos. Conhecer a legislação e aplicar é de suma importância, principalmente na Formação do Preço de Venda, dessa forma se reunir com o contador frequentemente para analisar a legislação e verificar se está sendo aplicado é muito importante. Essas são algumas das boas práticas de gestão financeira que podem ajudar a melhorar a saúde financeira da empresa e aumentar as chances de conseguir crédito no mercado. Seguindo essas dicas, o empreendedor pode ter mais controle sobre as finanças do seu negócio, otimizar seus resultados e garantir sua competitividade. Indicação de Livros para se aprofundar no assunto: 1. Compendio das Reduções de Custos e Despesas – Christian Radloff 2. Finanças Corporativas e Valor – Alexandre Assaf Neto 3. Finanças Corporativas. Teoria e Pratica – Aswath Damodaran 4. Finanças e Estratégias de Negócios para Empreendedores – Steven Rogers 5. Princípios de Administração Financeira – Lawrence J. Gitman 6. Contabilidade & Finanças para não Especialistas – Hong Yuh Ching, Fernando Marques e Lucilene Prado A TECNITRI pode te ajudar, através de uma metodologia própria, eficaz que trará uma nova visão de gestão focada no resultado, onde poderá acompanhar o crescimento do seu negócio e fazer gestão baseada em resultados, atuando com profissionais experientes, que darão o tratamento conforme a necessidade do cliente. Ernesto Berkenbrock TECNITRI – Gestão Empresarial ernesto@tecnitri.com.br 47 9 9911-0526 #administração #assessoria #brasil #business #carreira #coach #coaching #compliance #comunicação #conselheiro #conselheiros #conselho #consultor #Consultoria #contabilidade #custo #custos #dicasdeouro #digital #dinheiro #economia #education #empreendedorismo #empreender #empresa #empresas #empresasfamiliares #esg #estrategiaempresarial #estratégica #faturamento #finanças #financeiro #finances #funding #gestao #gestão #governança #governançacorporativa #indicadores #innovation #inovação #investimentos #liderança #linkedin #lucratividade #management #missao #missão #negocios #negócios #networking #oportunidades #parcerias #planejamento #planejamentoestrategico #planejamentoestratégico #propósito #qualidade #socialnetworking #startup #startups #strategy #sucesso #sustainbaility #tecnitri #valores #vendas




3 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page